6 de mar de 2014

Ciúmes, eu?

Caro amigo...


Você não acha extremamente inconveniente quando as pessoas te trocam por outra pessoa? 

Você não acha ainda pior quando é uma pessoa que você gosta muito que faz isto?
Eu, particularmente, acho uma sacanagem.
Eu sempre digo que achado não é roubado e quem perdeu foi relaxado. Mas isto não se aplica às pessoas que eu gosto.
Não é porque o meu melhor amigo está aparentemente sozinho, pelo fato de que eu fui pegar um pastel na cantina, que outro garoto pode chegar e conversar com ele como se ele fosse o seu melhor amigo. E ainda por cima chamá-lo para jogar vídeo game na sua casa!
Bem, isto tudo foi só uma hipótese, ok? Não que tenha acontecido na tarde desta quinta-feira. Não que o tal amigo seja o Felipe. Não que tenha sido o George do quinto ano quem o chamou para jogar vídeo game na sua casa.
Na verdade, é, sim.
- Felipe, vamos jogar vídeo game lá em casa amanhã? - ouvi o George perguntar quando eu me aproximei de volta à onde o Felipe me esperava.
- Ah - Felipe pensou - acho que sim.
Naquele momento eu tive vontade de jogar meu pastel na cara dele. 
Mas a fome era maior.
Você já deve ter sentido este negócio esquisito de achar que a pessoa que você gosta vai te trocar por outra, como disse no início da carta, não é? Como se ela passasse a gostar menos de você a cada minuto que ela passasse com um outro infeliz qualquer. 
É péssimo.
É horrível.
É pessimamente horrível.
É horrivelmente péssimo.
Causa uma junção de raiva com tristeza.
Eu não sou o tipo de pessoa que se importa com isso, não mesmo. Dane-se se o Felipe vai jogar vídeo game na casa do George. Mesmo que ele seja o meu melhor amigo, e não do George.
- Você tem que dividir o seu amigo com as outras pessoas - meu pai disse, no carro, de volta para casa. - Você está sendo ciumento.
Que bobagem!
Eu não sou ciumento.
Eu não tenho nada contra o Felipe ter outros amigos.
De jeito nenhum.
Eu também não ligo se a Lúcia quer falar com outros meninos.
Imagine!
Assim como eu não tenho motivo nenhum pra ter ciúmes da minha irmã com o namorado dela.
Que besteira.
Eu, ciumento?
Acho que não, hein.
Inclusive, espero que você leia esta carta logo.
Ou vai dizer que tem as cartas de outra pessoa pra ler antes?
Você está me trocando, amigo!?


Abraços do Eduardo.


Siga o Eduardo no Twitter: @eduardopensou





Nenhum comentário:

Postar um comentário