11 de jan de 2014

Castigo.

Caro amigo...


Quinta-feira eu fui em uma loja de roupas com a mamãe para ela escolher o presente de aniversário de uma amiga. A loja era enorme, cheia de roupas, calçados, prateleiras, moças de uniforme andando de um lado para o outro, gritaria de clientes, músicas bregas e todas essas coisas que me deixam maluco quando vou em lugares como este. Quando chegamos, ela disse:

- Eduardo, fique quietinho sentado neste banco, eu volto logo, ouviu?
E é claro que eu ouvi, eu não sou surdo. Então eu sentei. Mas ela mentiu quanto ao "volto logo". 
Passaram-se décadas, séculos e milênios, e tudo aquilo que me deixava louco estava finalmente me deixando louco. Foi então que eu decidi virar um guerreiro e matar um dragão. Saí correndo pelos corredores da loja até achar um, e finalmente encontrei o mais bravo, feroz e invencível dragão. Eu peguei minha espada e comecei a guerra... Então minha mãe decidiu finalmente aparecer. Na hora errada.
- Eduardo, solte já esta vassoura e deixe esta senhora em paz! - ela gritou.
Eu entreguei a vassoura para a funcionária que estava com o kit de limpeza nas mãos e me desculpei com aquela senhora que era maior que meu sofá - um verdadeiro dragão. Bem no fim, eu fiquei de castigo. Sem televisão ou computador por dois dias.
- Pense duas vezes na próxima vez, antes de me desobedecer. - foi a palavra final da grande e soberana mãe, aquela que não se pode responder um só "pio".
Eu não sei quem inventou esta droga de castigo, mas não serve pra nada. Neste dia de castigo que já passou, eu pensei em toda minha vida, menos em ter a desobedecido. E é óbvio que da próxima vez que ela me deixar plantado em uma loja daquelas por horas e horas, eu não vou ficar sentado novamente. Ela deve ter prazer em me deixar preso no quarto. Ela e o papai! Eles devem fechar a porta e pensar "estou livre deste, agora vou pensar em uma forma de deixar os outros de castigo também". Mas de qualquer forma, só mandei esta carta porque estou indignado. Ainda tenho um dia todo sem televisão e computador. Acho que vou fazer greve de fome. Não sei. Vou reivindicar um advogado ou coisa parecida. Obrigado pela atenção, você tem sido um bom amigo. E se você ver meus pais por aí, xingue eles, por favor, xingue por mim. 


Abraços do prisioneiro Eduardo.

Um comentário:

  1. ola meu nome é Eduardo e essas historias parecem muito com as minhas

    ResponderExcluir